Cármen Lúcia: Conheça a ministra do STF que pode assumir a presidência do TSE em eleição simbólica nesta terça-feira

 
O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) está em processo de eleição para definir o próximo presidente da Corte, que terá a responsabilidade de comandar os pleitos municipais de 2024. Tradicionalmente, a ministra Cármen Lúcia é a escolhida para assumir o cargo, com o ministro Nunes Marques como vice.

A votação para a presidência do TSE é simbólica, e o magistrado do STF com mandato mais longo na Corte eleitoral assume o comando. Cármen Lúcia faz parte do tribunal desde agosto de 2022 e sucederá o ministro Alexandre de Moraes, cujo mandato termina em junho de 2023.

Cármen Lúcia, natural de Montes Claros, Minas Gerais, é ministra do STF desde 2006 e foi a primeira mulher a presidir o TSE. Com uma carreira sólida no Direito, ela assumiu diversos cargos antes de chegar ao Supremo Tribunal Federal.
 
 

Conheça a história de Cármen Lúcia, a possível próxima presidente do TSE, responsável pelos pleitos municipais de 2024. Descubra sua trajetória e cargos antes de chegar ao STF.

 
Na noite desta terça-feira (7), o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) realiza a eleição que determinará o próximo presidente da Corte, responsável por liderar os pleitos municipais de 2024. Tradicionalmente, a ministra Cármen Lúcia assume o cargo em junho, com o ministro Nunes Marques como vice. A votação é simbólica, e o magistrado do STF com maior tempo de mandato no TSE assume a presidência, sendo Cármen integrante titular desde agosto de 2022, sucedendo o ministro Alexandre de Moraes.

Cármen Lúcia, natural de Montes Claros, Minas Gerais, tem 70 anos e é ministra do STF desde 2006. Graduada pela PUC Minas e mestre em Direito Constitucional pela UFMG, ela também é professora titular na mesma instituição. Antes de chegar ao STF, Cármen Lúcia foi procuradora do estado de Minas Gerais, assumiu cargos na OAB e foi procuradora-geral de Minas Gerais por indicação do governador Itamar Franco.

Ao longo de sua carreira, Cármen Lúcia ocupou diversos cargos de destaque, incluindo a presidência do TSE entre 2012 e 2013, além da presidência do STF e do CNJ no biênio 2016-2018. Autora de obras jurídicas e membro honorário do IAB, ela tem uma trajetória sólida no meio jurídico e se prepara para assumir novamente a presidência do TSE, sendo a primeira mulher a ocupar esse cargo.
 

Descubra mais sobre Cármen Lúcia, a próxima presidenta do TSE, e suas realizações antes de assumir o cargo. Conheça a trajetória dessa figura influente na justiça brasileira.

 
Em conclusão, a ministra Cármen Lúcia assume mais uma vez a presidência do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), com a responsabilidade de conduzir os pleitos municipais de 2024. Sua trajetória de sucesso e competência no mundo jurídico reforçam a confiança na condução do processo eleitoral brasileiro, garantindo a regularidade democrática e a transparência nas eleições.

Com vasta experiência e reconhecimento no meio jurídico, Cármen Lúcia se destaca como uma das principais autoridades do Supremo Tribunal Federal e agora assume a presidência do TSE com a missão de seguir consolidando as instituições brasileiras. Sua liderança e expertise contribuem para a manutenção da estabilidade democrática no país, promovendo a segurança e a confiabilidade do processo eleitoral para todos os cidadãos.